quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Noddy - Figuras Surpresa - Concentra - PVC

Noddy é um personagem criado por Enid Blyton, cuja obra foi publicada pela primeira vez em 1949 com ilustrações de Harmsen van der Beek, um artista holandês.
A personagem é uma criança feita de madeira, que vive numa pequena casa em Toyland (em português Cidade dos Brinquedos). O seu nome Noddy vem do do inglês "Nod" (acenar) - "to nod the head" (acenar ou abanar a cabeça) e é alusivo ao facto de ele ser um boneco que tem uma cabeça desconexa do corpo que abana e acena a cabeça constantemente. No Reino Unido é o programa de televisão infantil que está há mais tempo em exibição na televisão desde 1955 na BBC.

Esta colecção de 6 figuras com cerca de 4 cm e com uma pintura e detalhes excelentes, são da Concentra e foram produzidas em 2009.


Noddy

Turbulento

Sr. Faísca

Sr. Lei

Ursa Teresa

Sonso




quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A Terra Prometida - Watership Down - Weetos - PVC

A Terra Prometida (Watership Down) é uma série de animação, adaptada do romance de Richard Adams. Foi uma co-produção entre a Entertainment Alltime do Reino Unido e a Decode do Canadá. Foi produzida por Martin Rosen, director da adaptação cinematográfica de 1978. É uma série cheia de aventuras passadas num bosque com animais que querem mandar e outros que não querem obedecer. Excelente animação e melhores acompanhamentos musicais! Watership Down teve 39 episódios divididos em três séries de 1999 a 2001, tanto na YTV no ​​Canadá como na CITV no ​​Reino Unido, embora este último não transmitiu a terceira série. Em Portugal a série foi transmitida na RTP2 (dobrado em português) e no Canal Panda (legendado em português) entre 2004/2005. Esta série tornou vários actores britânicos conhecidos e em grandes estrelas, tais como Stephen Fry, Rik Mayall, Phil Jupitus, Jane Horrocks, Dawn French, John Hurt, e Richard Briers, entre outros. Stephen Gately cantou uma nova versão da música "Bright Eyes", de Art Garfunkel que tinha sido incluída no filme de 1978, enquanto Mike Batt (que escreveu "Bright Eyes") e a Royal Philharmonic Orchestra contribuiu com um arranjo completamente novo. Em 2003 o compositor Eric Robertson, bem como David Greene e Mike Batt foram nomeados para um Gemini Award para Melhor Banda Sonora Original para uma série dramática pelo trabalho desenvolvido por eles. Alguns episódios da adaptação foram lançados em VHS e, mais tarde em DVD. Em 2005 no Reino Unido foi lançado um pack de DVD'S com as três séries.
Esta colecção é constituída por 6 figuras em PVC que saíram nos cereais Weetos em 2001. Agradeço a quem tenha figuras repetidas para troca, que entre em contacto comigo.


Pipkin

Bigwig

Hazel


 




quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Jacky o Urso de Tallac - Disvenda - PVC

Esta série foi produzida em 1977 pela Nippon Animation. A série foi baseada no livro de Ernest Thomson Seton (1860-1946) e dirigida por Fumio Kurokawa e Yoshio Kuroda ao longo de 26 episódios. A série descreve a vida dos animais, os seus costumes, a sua inteligência e a sua humanidade. Nas montanhas de Tallac, a ursa Grisle dá à luz dois ursinhos, Jacky e a sua irmã Nuca. Um certo dia Jacky conhece Senda um pequeno índio, e os dois ficam amigos. Mas pouco tempo depois os dois ursinhos ficam órfãos e Senda adopta-os. A série estreou em Portugal em 1979 na RTP.
A série voltou à TV em 1997 mas com outro nome "Jacky e Jill" e com outra dobragem. A diferença do titulo assim como o nome de outras personagens surge porque a série que passou em 1979 foi adaptada da versão espanhola e a série dos anos 90 foi adaptada da versão alemã. A dobragem foi dirigida por José Luiz.
Esta colecção de 6 figuras em PVC foram lançadas pela Disvenda em 1979.


Jacky

Senda

Nuca

Olga

Tio Dimas

Kellian

Variante - Senda


Genérico da Série
video

Letra da Música

Jacky, Jacky, corre mundo, 
Como é bom ser livre e feliz lá no fundo.

Jacky, Jacky, come fruta, 
Com a barriga cheia está mais contente.

E procura uma casita, 
Pois chega o Inverno e o frio já sente.

Pouco a pouco, cai a neve 
E um manto branco o bosque terá. 
Vem a noite, sente medo, 
Seus amigos dormem já.

De manhã, nasce o sol, 
Todo o bosque despertará. 
Corre e salta o ursinho, sem nunca parar!

Abelha Maia - Apollo - PVC

A série da "Abelha Maia" é uma adaptação do livro "As aventuras da Abelha Maia" de Waldemar Bonsels (1880-1952), publicado pela primeira vez em 1912. Para a realização da série foi feita uma co-produção entre a Alemanha, a Áustria e o Japão. A série foi produzida em 1975, com realização de Hiroshi Saito, produção executiva de Koîchi Motohashi, desenhos de Susumu Shiraume, cenários de Nizô Takahash e música de Karel Svoboda. A série teve ainda a colaboração do cartonista americano Marty Murphy na criação das personagens. Foram produzidos 52 episódios. Nos anos 80 foi produzida uma segunda série. 
Maia é uma jovem abelha corajosa, divertida e curiosa. Após o seu nascimento Maia e as outras jovens abelhas vão há escola para aprender todos os deveres e perigos das abelhas. Mas Maia só pensa em explorar a floresta e conhecer todos os seus habitantes e segredos. Apesar dos avisos da Professora Cassandra, Maia abandona a Colmeia para ir á descoberta da floresta na companhia do seu melhor amigo Willy. As aventuras de Maia são seguidas pelo gafanhoto Flip, pronto a ajudar. 
A série estreou na RTP em 1978 com dobragem em português. A segunda série passou na RTP no inicio dos anos 80, também com dobragem portuguesa.
Esta colecção de 8 figuras em PVC foi fabricada em 1978 pela Apollo.


Maia

Willy

D. Cassandra

Flip

Mosca Puca

Escaravelho Kurt

Formiga Soldado

Rato Alexandre

Variante - Formiga Soldado


Genérico da Série

Letra da Música

Lá num país cheio de cor 
Nasceu um dia uma abelha 
Bem conhecida pela amizade 
Pela alegria e pela bondade 

Todos lhe chamam a pequena Abelha Maia 
Fresca, bela, doce Abelha Maia 
Maia voa sem parar 
No seu mundo sem maldade 
Não há tristeza para a nossa Abelha Maia 
Tão feliz e doce, Abelha Maia 
Maia, eu quero-te aqui 
Maia (Maia), Maia (Maia), Maia vem fala-nos de ti 

Numa manhã ao passear 
Vi uma abelha numa flor 
E ao sentir que me olhou 
Com os seus olhitos de cor 

E esta abelha era a nossa amiga Maia 
Fresca, bela, doce Abelha Maia 
Maia voa sem parar 
No seu mundo sem maldade 
Não há tristeza para a nossa Abelha Maia 
Tão feliz e doce, Abelha Maia 
Maia, eu quero-te aqui 
Maia (Maia), Maia (Maia), Maia vem fala-nos de ti 
Maia, eu quero-te aqui 
Maia (Maia), Maia (Maia), Maia vem fala-nos de ti